Fique bem informado com o JCN:

Educação

Com corte de 30%, UFPel pode fechar as portas em setembro

Publicado

em

Foto: Facebook/Reprodução

Com um bloqueio de 30% do orçamento, estudantes, professores e trabalhadores lidam com a incerteza do que acontecerá após o mês de setembro.

A posição oficial da reitoria da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) é que , se não houver recuo por parte do governo na medida, a instituição deverá fechar suas portas em setembro deste ano.

Inicialmente o corte dos 30% atingiria a Universidade de Brasília (UnB), à Universidade Federal Fluminense (UFF) e à Universidade Federal da Bahia (Ufba), mas o MEC anunciou na noite da última terça-feira (30) que o corte seria, na verdade, para todas as universidades e institutos federais do Brasil.

Em nota, a UFPel afirmou que os cortes atingirão todas as categorias dos setores terceirizados, entre eles, a vigilância, as portarias, o restaurante universitário, os transportes e os serviços gerais prestados.

Outro setor de estrutura atingido pela medida seria o abastecimento de energia elétrica na instituição. Segundo a instituição, não haverá dinheiro suficiente para o pagamento da conta de luz.

Além disto, a universidade aponta que a medida atingirá diretamente as bolsas de pesquisa, ensino e extensão, prejudicando a sua existência.

Nas redes sociais, o reitor Pedro Rodrigues Curi Hallal argumentou que a instituição não tem margem orçamentária para a realização dos cortes e que por esse motivo, em setembro, a UFPel poderá ter suas portas fechadas.

Em seu perfil pessoal, Hallal emitiu uma nota sobre a preocupação da instituição. Confira alguns pontos:

” […] As Universidades Federais são um patrimônio da sociedade brasileira. Elas são responsáveis por 90% da produção científica do país, mesmo contando com apenas 20% dos alunos de ensino superior do Brasil. Só para citar um exemplo da UFPel, ajudamos a prevenir a morte de milhões de crianças no mundo por meio da descoberta de que a amamentação exclusiva até os seis meses de vida reduz o risco de morte infantil. Por essa descoberta científica, um professor nosso é cotado para receber o Prêmio Nobel.”

O reitor criticou ainda a relação do Governo Federal, sob a administração de Jair Bolsonaro (PSL), com as universidades:

” […] Assim, comparar o custo de um aluno numa Universidade pública com aquele de uma creche não apenas demonstra desconhecimento, como também demonstra desonestidade intelectual. Não é razoável imaginar que instituições responsáveis por 90% da produção científica do país tenham o mesmo custo que outras com enfoque exclusivo no ensino. […] É inadmissível o ataque que as Universidades Federais vêm sofrendo recentemente por parte do Governo Federal e mais especificamente do Ministério da Educação. Nessa semana, nosso já apertado orçamento foi subtraído em 30%. Pior, o próprio Ministério da Educação informa, por meio de nota à imprensa, que, caso a Reforma da Previdência seja aprovada, o corte no orçamento pode ser revisto. “

Atualmente, a Universidade Federal de Pelotas dispõe de 96 cursos de graduação, sendo avaliados com notas 4 ou 5 nas avaliações do MEC, quatro unidades básicas de saúde,um hospital universitário e centenas de projetos de extensão.

O ministro Abraham Weintraub afirmou que o corte era “preventivo” e válido apenas para o segundo semestre. De acordo com nota do MEC, a medida poder ser revista caso o cenário econômico do país melhore e a reforma da previdência seja aprovada.

Educação

Professora Carla Felcher será homenageada com Título de Mérito em Educação

Publicado

em

Foto: Facebook/Reprodução

A professora canguçuense Carla Denize Ott Felcher será homenageada pela Câmara de Vereadores com um Título de Mérito em Educação na próxima sessão solene.

O título foi indicado pelo vereador Rubens de Vargas. Em seu argumento, o vereador autor da indicação, destacou a dedicada atuação da professora na educação no município.

Carla é Licenciada em Matemática e especialista em Educação pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel). Carla também é Especialista em Pedagogia Gestora com ênfase em Administração, Supervisão e Orientação Educacional pelas Faculdades Integradas da Rede de Ensino Univest, Especialista em Mídias na Educação pela UAB/UFPel, Mestra em Políticas e Gestão da Educação, e Mestra em Ensino de Ciências e Matemática.

Ao longo de sua jornada, atuou como professora no Departamento de Educação Matemática – DEMAT – IFM/UFPel, além de ter dado sua contribuição para universidades como a Universitas Lucius Ananeus Soneca e a Faculdade CESUSC, e para escolas municipais como Victor Marques Porto, Geraldo Antônio Telesca,  Euclides da Cunha, Vinte de Setembro, Castelo Branco, Marechal Deodoro e Amanda Otto.

 Atualmente, Carla é Coordenadora dos Estágios Curriculares da UAB/UFPel e professora de Matemática da rede municipal de Canguçu. Doutoranda no Programa Educação em Ciências: Química da vida e saúde, pela UFRGS e se dedica a pesquisas sobre o Ensino de Matemática, Tecnologias Digitais, Formação de Professores e Educação a Distância.

com informações da assessoria de imprensa

Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA