Fique bem informado com o JCN:

Cadernos

Com raro desvio na coluna, jovem canguçuense ensina que é preciso ‘encarar a vida com leveza’

Publicado

em

Há cerca de trinta e poucos dias longe de casa, e cerca de 500km de sua cidade, uma mãe e seu filho enfrentam com coragem um grande desafio dentro do Hospital da Criança Santo Antônio, em Porto Alegre: o tratamento de uma severa escoliose.

A escoliose é o encurvamento anormal da coluna vertebral, que provoca dor lombar e nas costas. No caso do canguçuense Aleff Peres, a curva é severa e é necessário uma cirurgia para não correr riscos de os ossos comprimirem os órgãos, com o crescimento do corpo.

‘O Aleff nasceu com a escoliose, mas era imperceptível’ explica a mãe Cláudia Luíza. Segundo ela, na infância foi tranquilo, mas na adolescência os sinais começaram a aparecer mais, como a curvatura nas costas e no peito. “Ele ficou bem tranquilo porque sabia que era questão de tempo. Já sabíamos que teria que operar.”

— Muita gente sofre de escoliose, alguns nem sabem. O que difere é o grau de curvatura. Tem gente que tem a opção de não operar o que não é o caso do Aleff. Se não operar a expectativa de vida dele não seria longa, pela função da compressão dos órgãos. — explicou Cláudia.

A DESCOBERTA

Quando descobriram a escoliose e me explicaram como seria, confesso que chorei, porque a gente nunca quer ver um filho passar por essas coisas. Mas depois eu sabia que eu teria que ter força junto com ele. E nunca mais chorei, só encarei com uma verdade em mim que tudo sairia muito bem. Nunca pensei nos riscos, só no resultado positivo do processo, e isso me manteve forte. — explica Cláudia, relembrando do dia em que descobriu a escoliose.

Aos 17 anos, o jovem Aleff está completando um mês de tratamento com o halo craniano, que ajuda a diminuir a curvatura da coluna, reduzindo os riscos da cirurgia que é considerada de alta complexidade. O aparelho que ele está usando foi desenvolvido na Austrália.

A mãe de Aleff contou à redação do Jornal Canguçu Notícia que o menino nunca se impôs nenhuma barreira, nem se viu como deficiente. “Ele sempre acompanhou os outros adolescentes em tudo, festas, viagens, passeios e atividades físicas. Ele tá encarando tudo com muita fé e coragem.”

— Nós combinamos que iríamos passar por tudo juntos. Temos dias difíceis quando tem dor, mas até na dor a gente tenta encontrar um motivo pra rir. Eu acho a coragem dele admirável, sou uma mãe muito orgulhosa por ter um filho que pra mim é um exemplo de vida, de superação. Agradeço a Deus todos os dias por ter ele — conclui Cláudia.

A CORAGEM EM ACREDITAR NO MELHOR

A coragem e a força de vontade em superar a doença fará com que a história do jovem canguçuense entre para a 3ª edição do livro “Metamorfose: Histórias da nossa vida”. O livro é um projeto que seleciona histórias de vida de alguns pacientes do Hospital Santo Antônio.

A redação do jornal conversou com os dois pela internet e se surpreendeu com o bom humor e leveza que o adolescente transmite. Nas redes sociais, uma publicação sua com a foto do desvio da coluna, comoveu amigos e familiares:

“Quando eu olhei essa radiografia da minha coluna confesso que meu coração acelerou. Mas hoje eu percebo que essa curva é o motivo que Deus me deu pra ter uma história extraordinária” — escreveu Aleff.

Em meio a saudade do quarto e dos amigos, o jovem gosta de passar o tempo jogando games no celular. O conselho que eu tenho pra dar é encarar tudo com coragem e sempre pensar positivo. Quando a gente encara as coisas com leveza, até a dor é suportável.”

A minha mãe sempre disse que a gente vem para o mundo com um propósito. E eu acho que esse é o meu: incentivar as pessoas com o mesmo problema que eu a terem coragem para passar pelo que eu passei. — explica o jovem que mantém um perfil no instagram (@coluna_de_aco) para compartilhar a experiência da escoliose, o tratamento e motivar outras pessoas com o mesmo problema.  

A cirurgia de Aleff deve acontecer nas próximas semanas e o lançamento do livro ainda não tem uma data certa.

Turismo

Projeto de Lei institui a Região Turística da Costa Doce

Publicado

em

Foto: Ministério do Turismo

Nesta terça-feira (21), os deputados estaduais Zé Nunes (PT) e Fernando Marroni (PT), protocolaram na Assembleia Legislativa, Projeto de Lei que institui a Região Turística da Costa Doce.

A Costa Doce abrange as cidades de Arambaré, Arroio Grande, Barra do Ribeiro, Camaquã, Canguçu, Chuí, Cristal, Dom Feliciano, Gauíba, Jaguarão, Mariana Pimentel, Morro Redondo, Pedro Osório, Pelotas, Piratini, Rio Grande, Santa Vitória do Palmar, São José do Norte, São Lourenço do Sul, Sertão Santana, Tapes, Tavares e Turuçu.

Segundo Zé Nunes, este projeto possibilita a integração turística do RS com o potencial do Uruguai; estimula o desenvolvimento sustentável; fortalece e amplia a produção local nas áreas turística, cultural e gastronômica; implanta mecanismos de educação ambiental e incentivo aos empreendimentos turísticos; e incentiva a organização produtiva das comunidades locais relacionadas ao turismo, ao artesanato e à geração de novas fontes de emprego e renda.

A Costa Doce é uma região de águas abundantes, lindas paisagens e rico patrimônio histórico e cultural. Conta com inúmeros museus, monumentos e prédios históricos de variados estilos arquitetônicos e que registram os diferentes períodos da construção do Rio Grande do Sul.

As diversas manifestações culturais, como a gastronomia, o artesanato e a arquitetura são marcadas pelas influências portuguesas, africanas, polonesas, francesas, italianas, alemãs e indígenas.

com informações da assessoria de imprensa

Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA