Fique bem informado com o JCN:

Geral

Consultoria do Hospital Sírio-Libanês ao HCC deverá começar em outubro

Publicado

em

Hospital de Caridade greve

Foto: Canguçu Notícia/Arquivo

Hospital de Caridade de Canguçu, que enfrenta grave crise financeira há anos, irá receber consultoria do Hospital Sírio-Libanês, um dos mais importantes centros médicos da América Latina.

O trabalho, que deverá durar seis semanas, será custeado pelo Banrisul. Os apontamentos devem contribuir à tomada de decisão da prefeitura municipal, que avalia a hipótese de assumir a gestão do hospital. E, apesar de o Executivo ainda não ter posição fechada, um detalhe é certo: o valor do repasse – hoje de R$ 221,3 mil por mês – será ampliado em 2019.

A confirmação foi feita pelo prefeito Marcus Vinicius Pegoraro (MDB), nos últimos dias. Cálculos para confirmar o montante real que passará a entrar nos cofres públicos a partir do próximo ano, com a nova Planta de Valores do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), devem indicar para quanto poderiam saltar as parcelas.

— Já é certo que vamos fazer um aporte maior, mas também estamos avaliando a possibilidade de fazer a gestão — disse Pegoraro, em entrevista ao jornal Diário Popular.

Em junho, quando convocou coletiva à imprensa, o chefe do Executivo chegou a afirmar que o incremento com o novo IPTU deveria ser de aproximadamente R$ 9 milhões, por ano. Uma verba decisiva para o governo poder analisar se toma ou não à frente do Hospital de Caridade.

PARA ENXERGAR MELHOR O FUTURO

A consultoria do Sírio-Libanês, que deve começar na primeira quinzena de outubro, deve ser dividida em quatro áreas: Recursos Humanos e governança; infraestrutura, atuação assistencial e indicadores de produção; estudo de mercado e revisão do perfil epidemiológico; e diagnóstico econômico-financeiro.

A expectativa é de que, com o levantamento em mãos, o Hospital de Caridade tenha condições de alterar o contrato firmado com o Governo do Estado,que permita ampliar os serviços prestados e, em consequência, elevar o valor dos repasses. As tratativas para mexer na contratualização, inclusive, já iniciaram – afirma o prefeito.

CENÁRIO, FINALMENTE, DESPERTA OTIMISMO

Depois de uma greve de funcionários de quase dois meses, um decreto de calamidade publicado e apenas dez dos 120 leitos ocupados, o cenário é de otimismo entre funcionários e membros da comissão provisória que assumiu o comando da instituição, no mês de junho.

— Tivemos uma boa melhora — enfatiza o diretor técnico, Juan Vargas Soto.

Os salários dos cerca de 180 trabalhadores, finalmente, estão em dia. As férias em atraso também começaram a ser pagas. A ocupação também está completa; inclusive a ala dirigida a atendimentos pela rede particular.

— Agora a situação está clareando. Estamos esperançosos — destaca a vice-secretária da comissão de funcionários, que tem dialogado com a prefeitura sobre o futuro do Hospital de Caridade, a enfermeira Luciara Luna Lira.

RELEMBRE
O projeto de lei que revisa a Planta de Valores do IPTU de Canguçu foi aprovado pela Câmara de Vereadores, no dia 13 de agosto, por placar apertado: 8 a 7. A Brigada Militar (BM) precisou ser acionada para garantir proteção de parte dos parlamentares. Um telão foi montado em frente ao prédio, para a comunidade acompanhar a sessão, já que o plenário ficou lotado.

Para aprovar a proposta polêmica, o governo apresentou dois argumentos principais: defasagem da Planta de Valores atual, da década de 1970, e apontamentos do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Com mais dinheiro no caixa – em função da nova base de cálculo que revisará o valor venal dos imóveis -, a prefeitura teria condições de injetar mais recursos ao Hospital de Caridade. E, possivelmente, assumir a gestão da instituição de saúde, que apresenta déficit de aproximadamente R$ 460 mil por mês. A dívida acumulada atinge os R$ 25 milhões.


Matéria produzida por Michele Ferreira – Diário Popular e reproduzida na íntegra pelo Jornal Canguçu Notícia

Geral

SINDILOJAS e SINDEC definem horários do comércio para o final do ano

Publicado

em

Foto: Jornal Canguçu Notícia

No começo deste mês, o Sindicato do Comércio Varejista de Canguçu (SINDILOJAS) e o Sindicato dos Empregados no Comércio (SINDEC) assinaram o acordo de trabalho para o período de natal e ano novo.

Os estabelecimentos representados pelo Sindicato do Comércio Varejista de Canguçu podem funcionar, entre os dias 1º de dezembro e 20 de dezembro de 2019 até as 19h30.

O acordo prevê ainda que o comércio pode abrir aos sábados, nos dias 14 e 21 até às 18h e no dia 28 até às 12h30. Deve ser respeitado o intervalo de duas horas para o almoço dos empregados.

As empresas podem funcionar no domingo (22), entre 15h e 19h. Para cada funcionário que trabalhar neste dia, será pago um acréscimo de R$ 78,00.

No dia 24 de dezembro, véspera de natal, o comércio funcionará até às 19h e no dia 31, véspera de ano novo, até às 12h30.

Como compensação pelo trabalho no domingo, os trabalhadores terão direito a um dia de folga que poderá ser concedida em janeiro ou fevereiro de 2020, ou ainda por uma folga na segunda-feira de Carnaval.

Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA