Fique bem informado com o JCN:

Cadernos

“É tudo fachada!” diz Presidente da Associação dos Taxistas de Canguçu sobre o aplicativo Colabora Mobi

Publicado

em

Foto: Jornal Canguçu Notícia

Nas últimas semanas o aplicativo de mobilidade urbana ‘Colabora Mobi’ anunciou que poderia ser usado pelos canguçuenses ainda no mês de abril.

Relembre: Aplicativo de corridas Colabora Mobi poderá ser usado por canguçuenses em Abril

Seguindo a mesma ideia de aplicativos mais famosos, como UBER e 99 Táxi, onde os usuários podem solicitar uma corrida e ter uma estimativa de quanto irão pagar diretamente pelo celular, a notícia foi bem recebida nas redes sociais.

A equipe do Jornal Canguçu Notícia instalou o aplicativo assim que recebeu o release da empresa e verificou preços de trajetos até 2 vezes menor que o praticado pelos taxistas.

Mas a novidade não agradou a todos. Nos últimos dias, a Associação dos Taxistas de Canguçu esteve reunida com o Departamento de Trânsito do Município, buscando alternativas para a abertura de mercado não prejudicar a categoria.

Uma delas foi a determinação de que, os motoristas que  trabalharem com o aplicativo não possam realizar corridas por fora, ou atuarem como taxistas, em paralelo.

“O Departamento de Trânsito está afim de nos ajudar. Se ele entrar pelo aplicativo, ele vai trabalhar 100% pelo aplicativo. Ele não pode fazer corrida por fora. Se porventura, ele fizer isso, será notificado e autuado.” explicou o presidente da Associação dos Taxistas de Canguçu (ATACAM), Hermes Cristiano Cunha. “O Departamento de Trânsito, a Brigada Militar e os taxistas vão fiscalizar. A minha categoria vai marcar em cima.”

Para o Presidente, o aplicativo vem de encontro a inovação mas terá que se adequar. Segundo ele, no Município, por lei, os únicos que têm o direito de explorar o transporte de até 5 passageiros são os taxistas.

ASSOCIAÇÃO AFIRMA QUE APP “NÃO É VIÁVEL”

Em entrevista, Cristiano afirmou que o aplicativo é funcional em grandes centros, mas não é viável para cidades pequenas com topografia ‘acidentada’.

“Para ser viável, ele jamais pode rodar vazio. Os táxis gerenciam o roteiro de acordo com a demanda de chamadas, para evitarem rodar vazios.” — argumentou Cunha.

Segundo o presidente, o baixo preço cobrado pelo aplicativo, aliado às taxas aos motoristas, não compensam o custo da gasolina.

“Se tá difícil pra gente rodar por esse preço, imagina para quem vai rodar por pouco mais de nada. Até eles caírem na realidade, vai atrapalhar a nossa categoria.” — afirmou Cristiano.

“SE COLAR, COLOU”

Em seu argumento, o presidente da associação alinhou a interrupção de linhas de ônibus por causa de aplicativos de carona. Para ele, o governo apoiou a entrada dos aplicativos para tentar compensar a falta de empregos.

“Pessoal não entende que podem precisar do ônibus e não ter. Acredito na modernidade, mas tudo tem que ter um limite.” — argumenta.

Para Cunha, o aplicativo não é viável para a comunidade e para motoristas por não pensar problemáticas comuns, como o transporte de pessoas para o interior do Município. No app, o motorista escolhe se aceita a corrida pelo preço estabelecido, ou a recusa.

“É TUDO FACHADA”

Cristiano comentou que, nos últimos dias entrou em contato com o criador do aplicativo por telefone e se surpreendeu com o desconhecimento do território.

“Ele pegou só os números, mas não conhece a topografia da cidade. Não sabe que a maior parte das ruas são de paralelepípedo. Ele pegou apenas o número de 56 mil habitantes. Quando eu falei que a cidade tinha apenas 20 mil, ele ficou meio pasmo.”

O presidente afirmou que o responsável pelo aplicativo sequer havia se apresentado na Secretaria da Fazenda e que ainda não tinha um representante para a região.

“Não tem nada regulamentado. Não tem iSSQN, nem colaboração solidária. Tudo é fachada. Não teve nem pedido de alvará, para geração de tributo e ISSQN. É a mesma coisa que eu colocar um posto de gasolina, vendendo combustível clandestino e não pagar imposto”

A redação do Jornal Canguçu Notícia entrou em contato com a prefeitura que confirmou que ainda não houve nenhum contato.

“Vai afetar a economia”

Outro argumento do presidente sobre o aplicativo de mobilidade é a economia. Segundo ele, a chegada de um aplicativo vai afetar profundamente a economia local. “98% do dinheiro que é gasto em táxi, fica dentro do município e com esses aplicativos, um percentual bem maior vai para fora.”

Para ele, a proposta precisa ser repensada, e não é o melhor momento para Canguçu. “Muitos tentarão uma coisa que não vai dar certo.” afirma.

“Se for preciso fazer uma audiência pública na Câmara, eu vou convocar. Eu vou defender a minha categoria até o último momento. A minha população está sendo bem atendida.” concluiu.

O Jornal Canguçu Notícia tentou contato com o responsável pelo aplicativo que, pediu um tempo para retornar as solicitações e afirmou apenas que, 15 motoristas já estão em processo de cadastro. A meta do empresário era 50 carros circulando. 

Política

Confira os destaques do segundo dia de palestras da Semana Legislativa

Publicado

em

A palestra foi uma iniciativa do presidente da Câmara, Marcelo Maron. (PTB) | Foto: Jornal Canguçu Notícia

Nesta terça-feira (7), o plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Canguçu sediou o segundo dia da XIII Semana Legislativa.

A primeira palestra foi ministrada pela psicóloga da Prefeitura de Canguçu, Rose Volz sobre a Inclusão Social. Após, o soldado Roger palestrou sobre os perigos da internet para os jovens.

Por fim, os representantes do Conselho Municipal de Educação, realizaram uma apresentação sobre o trabalho dos conselheiros, que tem como objetivo pensar as pautas da educação no Município.

Durante a apresentação, os representantes destacaram a regulamentação do projeto piloto Escola no Campo, implantado na rede municipal de ensino, no ano passado.

A semana legislativa é promovida anualmente pela casa, buscando aproximar a comunidade com o Poder Legislativo.

SEMANA LEGISLATIVA ACONTECE ATÉ QUINTA

A semana se estende com programação de palestras até a quinta-feira (9), onde ocorrerá uma Sessão Solene de encerramento, com a entrega das honrarias.

Com exceção desta segunda-feira, todas as palestras acontecerão no Plenário da Câmara. A Semana legislativa é promovida anualmente pela casa, buscando aproximar a comunidade com o Poder Legislativo. A Programação deste ano inclui palestras com temas como a inclusão social, os perigos na internet, e o empreendedorismo.


Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA