Fique bem informado com o JCN:

Saúde

Falta de remédios ameaça dois milhões de pacientes no Brasil

Publicado

em

Foto: O Globo/Reprodução

Segundo relatórios, o país vive a maior crise de sua História na oferta de medicamentos para o sistema público de saúde.

Brasília – No dia 12 de março de 2019, um ofício do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) endereçado ao gabinete do ministro Luiz Henrique Mandetta avisava: a situação dos estoques públicos de medicamentos em todos os estados da federação é crítica.

O documento traçava um panorama do desabastecimento, problema que se arrasta há anos, mas se agravou nos primeiros meses do governo Jair Bolsonaro.

De um total de 134 remédios que são distribuídos obrigatoriamente pelo Ministério da Saúde, 25 estão com estoques zerados em todos os estados do país e outros 18 devem se esgotar nos próximos 30 dias.

O GLOBO analisou relatórios de dez secretarias estaduais de Saúde e outro documento do Conass encaminhados ao governo federal cobrando providências para o problema. De acordo com eles, o país vive a maior crise de sua História na oferta de medicamentos para o sistema público de saúde.

Dois milhões de pacientes dependem de remédios que estão em falta ou que vão acabar nos próximos dias, segundo o Conass. Dentre os já esgotados, estão drogas para tratamento de doenças como câncer de mama, leucemia em crianças e inflamações diversas.

Também falta medicação para pessoas que receberam transplantes recentes de rins e de fígado. Sem isso, é possível que órgãos transplantados precisem ser removidos e descartados, já que as drogas servem para que o corpo do receptor consiga se adaptar. Em apenas em dez estados, incluindo Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco, mais de 20 mil transplantados dependem dos medicamentos fornecidos pelo governo federal.

O Ministério da Saúde afirma que, desde janeiro, tenta regularizar o abastecimento de medicamentos adquiridos. Segundo a pasta, muitos processos de compra não foram iniciados no tempo devido e, por isso, “as entregas estão ocorrendo de modo intempestivo”.

Ao todo, 12 processos de aquisição foram finalizados e 52 estão em andamento. “Assim, a expectativa é de assinatura dos contratos de compra para regularização do abastecimento de grande parte dos fármacos ainda no mês de maio”, diz a nota.

Alertas foram emitidos

O Ministério da Saúde já foi alertado diversas vezes sobre a escassez em que se encontram os estados. O documento mais recente, do Conass, diz que o desabastecimento atinge principalmente “portadores de doenças crônicas” e que causa “consequências sociais, clínicas, e não menos importante, econômicas”.

“Isso configura uma grande preocupação para os gestores estaduais no que diz respeito ao planejamento das ações de acesso e, principalmente, na qualidade e segurança do tratamento do paciente”, diz o texto do conselho, que solicita ainda que a pasta dê prioridade ao tema.

A reportagem teve acesso a relatórios detalhados de dez secretarias estaduais de saúde e a um outro, mais sintético, que traça o panorama em todo o país. Todos os estados, em maior ou menor escala, são afetados.

Segundo o presidente do Conass, uma portaria da Saúde estabeleceu o compromisso de manter estoques de três meses, mas sucessivas administrações vêm ignorando essa regra.

O ministério diz estar ampliando os processos licitatórios de compra para garantir o abastecimento por, no mínimo, um ano. Medidas emergenciais como o remanejamento de estoques e a antecipação da entrega de medicamentos por laboratórios contratados também estão sendo adotadas, segundo a pasta, para garantir o abastecimento imediato.

O órgão afirma que a distribuição de drogas como o micofenolato de mofetila e o micofenolato de sódio — usadas para prevenir a rejeição de órgãos transplantados — já está regularizada.

Na próxima semana, prossegue o ministério, serão regularizados os fármacos Imatinibe 100 mg e Imatinibe 400 mg, usados no tratamento de crianças com leucemia.

A Saúde afirma que todas as informações e dificuldades relacionadas aos processos de compra estão sendo compartilhadas com o Tribunal de Contas da União (TCU) e demais órgãos de controle, que têm acompanhado a situação do desabastecimento nos Estados.

Fonte: O Globo (Leia na íntegra)

Saúde

Show beneficente com Carlos Magrão nesta segunda em prol do Diogo Zarnot

Publicado

em

Foto: Facebook/Divulgação

Mais uma agenda cultural será realizada, nesta segunda-feira (28), em apoio à recuperação do pequeno Diogo Schroder Zarnot, de dois anos de idade.

Apesar de em junho o Ministério da Saúde ter anunciado que a medicação Spinraza passaria a ser oferecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) aos portadores de Atroa Muscular Espinhal tipos 2 e 3, até agora, as primeiras quatro doses do único medicamento capaz de conter a evolução da doença rara foram compradas.

O motivo é fácil de entender: a família canguçuense tinha pressa em estancar os efeitos degenerativos da AME, enquanto o acesso público às ampolas importadas não era viabilizado.

Para isso, buscou empréstimo de R$ 350 mil – para complementar as cifras arrecadadas por diferentes cidades da região e até de fora do Estado – e poder chegar ao valor de R$ 1,3 milhão, que permitiria dar início ao tratamento. A campanha Ame o Diogo, portanto, segue nas ruas e tem longo calendário até o nal de novembro. O chamamento, então, é também para você, que tem acompanhado a história deste caçula carismático.

E ao ver o resultado positivo de Spinraza, o endividamento perde expressão e conrma a decisão acertada em correr contra o tempo. “É incrível como a gente já nota os efeitos. Ele tá começando a ter domínio da perna e a se virar sozinho”, comemora a mãe Darlene Schroder Zarnot. No dia 15 deste mês, Diogo internou-se no Hospital de Clínicas de Porto Alegre para receber a quarta dose da medicação e passou bem. As sessões de sioterapia, cinco vezes por semana, também são compromisso inadiável.

A expectativa da família é de que a quinta dose, em fevereiro, e a sexta, em junho, já sejam asseguradas pelo SUS.

Saiba mais
A Atroa Muscular Espinhal afeta de sete a dez bebês em cada cem mil nascidos vivos e é a maior causa genética de morte de nenês e crianças de até dois anos de idade. Entre as principais características, uma fraqueza progressiva, que compromete funções como respirar, comer e andar. No Brasil, ainda não há um estudo epidemiológico que indique o número
exato de pessoas com a doença.

Prestigie!
– Jantar show benecente (*)
Quando: Segunda-feira, dia 28, às 20h30min
Onde: Sede campeira CTG Sinuelo, em Canguçu
Atrações: Carlos Magrão, Toni Marques e Doli Marques
Valor jantar show : R$ 15,00

(*) Toda a renda arrecadada será revertida ao pagamento do empréstimo obtido para o tratamento do pequeno Diogo

Doe também: Todos por Diogo!
– Caixa Econômica Federal
Agência: 0462
Conta Poupança: 013.94.334-1
CPF: 054.791.620-55
Diogo Schroder Zarnot

– Banco do Brasil
Agência: 0617-3
Variação: 51
Conta Poupança: 17.481-5
CPF: 767.495.410-20
Darlene Schroder Zarnot

– Banrisul
Agência: 0167
Conta Poupança: 39.066.720.0-6
CPF: 054.791.620-55
Diogo Schroder Zarnot

– Sicredi
Agência: 0663
Conta Poupança: 27749-3
CPF: 054.791.620-55
Diogo Schroder Zarnot

* WhatsApp: (53) 98416-0019
* Siga no Instagram: @ameodiogo

Informações: Jornal Diário Popular.

Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA