Fique bem informado com o JCN:

Cadernos

Poema: Primeiro Poema Materno de Chuva e Saudade

Publicado

em

** O caderno ‘Poetas da Serra’ abre espaço para os leitores exporem seus poemas, e busca reforçar a poesia nos dias locais. O poema abaixo é uma contribuição de Alan Otto Redu em homenagem aos dias das mães, em especial àquelas que já partiram.

 

Primeiro Poema Materno de Chuva e Saudade

No acaso dos abraços
Perderam se dois braços…
Mas ficou em memória
Uma trajetória,
Imensa de lembranças…

No desencontro das esquinas
Faltou uma silhueta de menina
Que quase ninguém viu…
Apenas sumiu…
Aqueles passos nas calçadas…

Digo-lhes no alto da minha
Ignorância cientifica:

– QUE A MORTE É INCAPAZ
DE ROMPER COM OS LAÇOS DE AMOR!

Porque se assim for, não há sentido,
Na construção deste universo infinito,
Nem tão pouco nas leis do Criador…

Não vamos por demais nos perturbar,
Quando a saudade nos vier nos visitar.

Lembramo-nos de um simples vegetal
Que desde tempos remotos, repete seu ancestral,
No mais exato Calculo racional…

Aureola amarela que os Humanos,
Batizaram de Girassol!
Segue teu movimento, mesmo em dia de tempestade,
Por saber que atrás das nuvens negras, Permanece o Sol.
Do Ponto de partida a alvorada,
Insiste a seguir…
Até que morrão os últimos raios do Arrebol…

Mesmo não vendo o Astro-Rei
Na circular lei, que a rota segue,
Acompanha este Movimento,

Mesmo que as rajadas do vento (te persegue)
Mesmo que os tufões dobrem tuas folhas
Não muda tuas escolhas, em teu florescimento…

Na Incerteza da Dor
A vida nos roubou uma Flor
Do nosso melhor Jardim…

Mas o tempo em sua caminhada
Não a afasta da nossa estrada
A presença materna,
Que sentimos Enfim…

E outra Certeza, nos reconforta,
Mesmo que a tristeza nos bata a porta
Que Nada se Termina!

E tudo cada vez mais se renova,
Que em breve, nossos afetos
Esperam-nos, noutra Estrada Nova!!

 

Participe do caderno Poetas da Serra
Para participar do cadernos “Poetas da Serra”, envie seu poema para jornal@cangucunoticia.com.br. É importante informar uma breve biografia sua (nome, idade e profissão ou ocupação). Envie também uma imagem com no mínimo 100 Kb de tamanho, que represente o seu poema

Cadernos

Ovos de Colher são aposta de jovens empreendedores nesta páscoa

Publicado

em

Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

Considerado por muitos como o período mais lucrativo do ano para empresas do setor de chocolate, o feriado de páscoa é uma das datas mais esperadas no calendário de quem trabalha no segmentos de confeitaria.

Além das empresas buscarem aproveitar a oportunidade para focar em produtos pouco atendidos pela indústria tradicional, jovens empreendedores estão aproveitando o momento para explorarem o mercado, inovarem com novas receitas e abusarem do marketing boca a boca e da propagação dos negócios em redes sociais para atender a demanda dos consumidores.

O ‘ovo de colher’ é uma das opções que está em alta no mercado. Em Canguçu, a receita caiu no gosto da comunidade nos últimos anos, que teve uma alternativa a mais para o feriado, deixando de ficar restrita somente as opções industrializadas.

A empreendedora Thais Ferraz encontrou na receita uma forma de conseguir uma renda extra no mês. Antes produzindo apenas para os familiares, passou a oferecer para amigos e conhecidos e viu no mercado, uma boa rentabilidade para o investimento.

“Acredito que as pessoas estão substituindo o ovo convencional pelo de colher pelo custo benefício. Além de ser muito melhor, vem recheado e pesa muito mais”. explica a empreendedora. “Faço com chocolate nobre, e recheio de acordo com o gosto dos clientes.

A empreendedora aposta em uma única opção de tamanho para facilitar a produção. Um ovo pesando 400g com o recheio, por um custo de R$ 25,00. As encomendas podem ser feitas pelo facebook.

Já para o zootecnista Marcus Rodrigues, de 26 anos, a opção veio como um aprimoramento nas opções de venda. Após concluir a faculdade e encontrar dificuldade para se inserir no mercado, decidiu vender brownies para ter uma fonte de renda.


“Eu tinha um forno bem pequenininho e uma forma que cabia 12 brownies e meu primeiro pedido era de 82.

A receita veio de uma amiga de Porto Alegre. O primeiro pedido foi feito por uma amiga, para a inauguração de um salão de beleza.

“Eu tinha um forno bem pequenininho e uma forma que cabia 12 brownies e meu primeiro pedido era de 82. Eu ainda morava em Pelotas na época e só consegui porque dois amigos me emprestaram a cozinha para eu fazer a primeira entrega. O brownie nasceu, cresceu e é o que é hoje graças ao apoio e ajuda dos meus amigos”

Empregado, Rodrigues passou a dividir as horas entre um salão e as vendas dos chocolates. Depois de um ano, as vendas aumentaram e ele optou por deixar o emprego para se dedicar ao seu negócio.

“Cinco pessoas foram fundamentais para o nascimento da Eme Brownie. A Grazi por ter me incentivado muito a começar e ter me dado a receita. Sem ela nada teria acontecido! A Paula que comprou a ideia e divulgou muito ele. A Jéssica e o Felipe por terem me emprestado a cozinha deles, apostando que ia dar certo e o Renan que é o responsável pela arte e todas as fotos.”

O ovo de brownie surgiu só neste ano, quando percebeu que muitas pessoas faziam ovo de colher, e pensou que precisava de algo diferente. Na internet, viu que os ovos de brownie eram uma tendência para este ano e somou ao fato de que mais ninguém na cidade conhecia o produto.

“Eu comprei 20 embalagens pensando que era o suficiente. Na primeira publicação nas redes sociais eu vendi 50, e foi só aumentando. O pessoal comprou a ideia e adorou. Superou as minhas expectativas.”

Diferente do ovo de colher tradicional, em que a casca é feita de chocolate normal, o brownie é feito na forma e depois moldado para adquirir o formato de uma casca de ovo. Depois, vem o recheio, com brigadeiro preto ou branco, dependendo do gosto do cliente e por fim, a decoração: raspas de chocolate e mais alguns brownies em cima.

“Esse é o diferencial. A combinação do brigadeiro com os brownies. O pessoal começou a provar e todo mundo se apaixonou. Eu comecei a ter pedido e a ver que dava certo.”

Animado com o sucesso, Rodrigues explicou que já tem algumas idéias no mesmo estilo para as próximas datas comemorativas e que pretende abrir encomendas pós-páscoa para quem não conseguir comprar antes da data.

São três opções de tamanho: 250g (R$ 25), 350g (R$ 35) e 500g (R$ 45). As encomendas podem ser feitas por telefone (53 98101.2490), whatsapp, instagram e facebook.

“O mais importante não é o retorno financeiro que obtive, mas o ato de fazer alguma coisa para as pessoas e ouvir que o quanto elas gostaram. O sentimento positivo é muito maior e mais gratificante que o retorno financeiro.”

Confira algumas fotos:

Continue Lendo

Destaques da Semana

Copyright © 2019 — Jornal Canguçu Notícia LTDA